Aspectos Sociais e Profissionais

Just another WordPress.com weblog

Profissão Engenheiro

Aulas: 6 de Dezembro de 2006

Engenheiro é o “faz-tudo” da área de ciências exactas

O curso de engenharia exige sólida formação em exactas (matemática, física e química). É por meio dessa “bagagem” que o profissional transforma recursos naturais em bens e serviços.

Independentemente da área, a principal actividade do engenheiro é criar novas alternativas de desenvolvimento. Devido aos avanços tecnológicos, o curso passou a se fragmentar e estima-se existir pelo menos 30 tipos diferentes de especialidades.

O que é ser Engenheiro

De acordo com os Estatutos da sua Ordem Profissional, o Engenheiro tem de ser titular de uma Licenciatura, ou equivalente legal, em curso de Engenharia, ocupando-se da aplicação das ciências e técnicas respeitantes aos diversos ramos de Engenharia .

O licenciado em Engenharia só é engenheiro depois de estar obrigatoriamente inscrito na Ordem dos Engenheiros, o que quer dizer que não bastam habilitações académicas para se ser titular da qualificação profissional de engenheiro.

Para se inscrever na Ordem dos Engenheiros, o licenciado em Engenharia terá de fazer exame de admissão, podendo ser dispensado, se for oriundo de um curso acreditado pela Ordem, após o que terá de realizar um estágio profissionalizante.

Engenharia informática

Definição: É o ramo da engenharia que recorre a métodos, técnicas e ferramentas de processamento automático, conservação, comunicação e pesquisa de informação, de análise, projecto, instalação e manutenção de sistemas de informação, e de concepção e exploração de redes de dados e seus serviços tendo em vista a resolução de problemas de natureza económica ou social.

Devido a grande versatilidade da informática existem diversas áreas de especialização, que são definidas através da indicação dos perfis profissionais por elas cobertos:

Sistemas de Informação – abrangendo os analistas programadores, chefes de projecto, engenheiros de software, analistas de exploração, gestores de sistemas de informação e gestores de bases de dados.

Arquitectura de Sistemas Informáticos – abrangendo os engenheiros de sistemas e os responsáveis de micro sistemas.

Sistemas e Redes de Comunicação – cobrindo os engenheiros de redes e os engenheiros de segurança.

Inteligência Artificial – dedicada aos engenheiros do conhecimento.

Controlo, Automação e Informática Industrial – correspondente aos engenheiros de informática industrial

Interacção com o Utilizador – abrangendo os engenheiros de multimédia e os engenheiros ergónomos.

Informática Comercial – dedicada aos engenheiros comerciais e técnico-comerciais.

Achei importante transcrever alguns tópicos do código de ética do engenheiro pois demonstra uma série de factores que a profissão abrange.

deveres decorrentes do exercício da actividade profissional

art. 86 – Deveres do engenheiro para com a comunidade

1 – É dever fundamental do engenheiro possuir uma boa preparação, de modo a desempenhar com competência as suas funções e contribuir para o progresso da engenharia e da sua melhor aplicação ao serviço da Humanidade.

2 – O engenheiro deve defender o ambiente e os recursos naturais.

3 – O engenheiro deve garantir a segurança do pessoal executante, dos utentes e do público em geral.

4 – O engenheiro deve opor-se à utilização fraudulenta, ou contrária ao bem comum, do seu trabalho.

5 – O engenheiro deve procurar as melhores soluções técnicas, ponderando a economia e a qualidade da produção ou das obras que projectar, dirigir ou organizar.

art. 88 – Deveres do engenheiro no exercício da profissão

1 – O engenheiro, na sua actividade associativa profissional, deve pugnar pelo prestígio da profissão e impor-se pelo valor da sua colaboração e por uma conduta irrepreensível, usando sempre de boa fé, lealdade e isenção, quer actuando individualmente, quer colectivamente.

2 – O engenheiro deve opor-se a qualquer concorrência desleal.

3 – O engenheiro deve usar da maior sobriedade nos anúncios profissionais que fizer ou autorizar.

4 – O engenheiro não deve aceitar trabalhos ou exercer funções que ultrapassem a sua competência ou exijam mais tempo do que aquele de que disponha.

5 – O engenheiro só deve assinar pareceres, projectos ou outros trabalhos profissionais de que seja autor ou colaborador.

6 – O engenheiro deve emitir os seus pareceres profissionais com objectividade e isenção.

7 – O engenheiro deve, no exercício de funções públicas, na empresa e nos trabalhos ou serviços em que desempenhar a sua actividade, actuar com a maior correcção e de forma a obstar a discriminações ou desconsiderações.

8 – O engenheiro deve recusar a sua colaboração em trabalhos sobre os quais tenha de se pronunciar no exercício de diferentes funções ou que impliquem situações ambíguas.

Opinião do aluno

Com essa aula fiquei a saber mais sobre a Engenharia e Engenharia Informática, algumas informações importantes como a necessidade de inscrição na ordem dos engenheiros para obter a qualificação profissional e os diversos ramos que a área possui.

Importante também o código de ética que já foi abordado em outras aulas.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: